Tempos de turbilhão

Tempos de turbilhão

Sinopse

Este livro reúne textos esparsos, escritos por Darcy ao longo dos tempos. Eles mostram sua visão do que aconteceu imediatamente antes, relatam como foram os momentos do golpe, e estendem-se depois, pelo exílio. Mostram como seus companheiros de derrota viveram seus primeiros tempos de exilados. Além de figura central, pelo cargo que ocupava no momento do golpe, Darcy Ribeiro era também uma das pessoas mais próximas de Jango. Até o último instante, achava que o presidente devia resistir. Tentou convencê-lo por todas as formas e com todos os argumentos. Em vão. Mais do que oportuno, é importante, de uma enorme importância, conhecer o relato de Darcy Ribeiro, figura central daqueles acontecimentos. E recordar que, da mesma forma que amargou a derrota, ele soube se reinventar para continuar, até o fim, lutando com a felicidade dos peregrinos para tentar reinventar o Brasil. Passados cinquenta anos, é interessante - e importante - rever as observações e conhecer o relato de Darcy Ribeiro.Eric Nepomuceno

Autor

Darcy Ribeiro nasceu em Montes Claros, Minas Gerais, em 26 de outubro de 1922. Formado em Ciências Sociais pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo em 1946, Darcy construiu uma brilhante carreira intelectual de projeção internacional, notadamente nos campos da antropologia, etnologia e educação. Além de ter sido um estudioso do modo de vida dos povos indígenas, Darcy os defendeu arduamente. Em 1954, organizou no Rio de Janeiro o Museu do Índio, o qual dirigiu até 1957. Também em 1954, elaborou o plano de criação do Parque Indígena do Xingu, situado ao norte do estado de Mato Grosso. Darcy Ribeiro destacou-se como escritor, educador e político, além de ter sido figura presente nos momentos centrais da história brasileira da segunda metade do século XX. Foi ministro-chefe da Casa Civil do governo João Goulart (durante o qual foi também ministro da Educação) e foi eleito vice-governador do Rio de Janeiro em 1982. Neste período, foi concomitantemente secretário de Estado da Cultura e coordenador do Programa Especial de Educação, com a missão de implantar 500 CIEPs no Estado do Rio de Janeiro. Exerceu papel central na fundação da Universidade de Brasília, em 1962, da qual foi o primeiro reitor. Foi senador da República entre 1991 e 1997 e membro da Academia Brasileira de Letras. Faleceu em Brasília em 17 de fevereiro de 1997.