O sútil desequilíbrio do estresse

O sútil desequilíbrio do estresse

Sinopse

Neste livro, a psicóloga Bel Cesar, o psiquiatra Dr. Sergio Klepacz e o mestre budista Lama Michel Rinpoche generosamente compartilham conosco suas conversas sobre a intrincada relação entre o corpo, a mente e o meio ambiente diante dos efeitos do permanente estresse no qual vivemos hoje em dia. Em seus diálogos, simples e diretos, recorrem tanto às pesquisas e concepções científicas como à sabedoria do Budismo Tibetano. Ao esclarecer como a bioquímica do corpo ativa estados psicológicos, assim como as atitudes mentais atuam sobre o estado físico, este livro nos permite aprofundar a noção de autoconhecimento e fornece preciosas informações sobre como gerar saúde física e mental. As belas e intrigantes fotos que pontuam os capítulos resultam em um volume que é antes de tudo um convite à reflexão sobre a necessidade de equilíbrio e harmonia entre o corpo, a mente e o ambiente.

Autor

Bel Cesar é psicóloga clínica com formação em musicoterapia no Instituto de Orff em Salzburgo, Áustria. Pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetano e, desde 1991, dedica-se ao acompanhamento daqueles que enfrentam a morte. Em 1996 elaborou o livro Oráculo I Lung Ten, editado pela Editora Gaia em 2003. Em 2001 escreveu os livros Viagem Interior ao Tibete e Morrer Não Se Improvisa. Desde 2002 colabora com o site Vida de Clara Luz e em parceria com Peter Webb passou a desenvolver atividades de ecopsicologia no Sítio Vida de Clara Luz.Lama Michel Rinpoche nasceu em São Paulo em 1981. Aos 5 anos, conheceu seu mestre Lama Gangchen Rinpoche por ocasião de sua primeira visita ao Brasil, organizada por seus pais. Devido à sua evidente conexão com o budismo, recebeu de Lama Gangchen o nome tibetano Jangchub Chöpel Lobsang Nyentrag, que significa Mente Ilustre que Difunde o Dharma com Sucesso. Nos anos subsequentes, viajou por lugares sagrados no Tibete, Índia, Nepal e Indonésia. Durante esse período, Lama Gangchen Rinpoche e outros renomados mestres o reconheceram como o detentor de uma linhagem de mestres tibetanos. Aos 12 anos, por decisão própria, tornou-se monge e passou a viver no Monastério de Sera Me, no Sul da Índia, uma universidade monástica dedicada aos estudos da filosofia budista tibetana.Em 2004, após onze anos de retiros, práticas e estudos com grandes mestres no Monastério de Sera Me, passou a viver na Itália com Lama Gangchen Rinpoche.