Melhores contos Marcos Rey

Melhores contos Marcos Rey

Sinopse

Marcos Rey é daqueles escritores que prendem o leitor desde a primeira frase e só o libertam após o ponto-final. Herdeiro dos grandes autores de romances de aventura, com um gosto mal disfarçado, mas contido, pelo folhetinesco, sabe como dosar o suspense para manter o leitor sempre de fôlego curto, ansioso para desvendar o mistério proposto.Mistério, no caso, nem sempre significa a resolução de um enigma complicado, indispensável à salvação da vida do personagem. O mistério pode ser também psicológico, um daqueles grilos que levam as pessoas aos atos e atitudes mais estranhos. Uma inclinação indefinível, como ocorre no excelente conto "O Locutor da Madrugada", que Fábio Lucas, no prefácio deste livro, classifica, com razão, como machadiano: "Machadiano com maior liberdade quanto à mise-en-scène".Romancista, autor de mais de quarenta títulos que alcançaram uma vendagem superior a 5 milhões de exemplares, Edmundo Donato (este o seu nome verdadeiro, o outro é pseudônimo) escreveu de tudo um pouco. Foi redator de rádio, publicitário, redigiu roteiros para o cinema e a televisão.O conto foi paixão prematura. Antes mesmo de aprender a ler, já vivia envolvido pela magia das histórias que seu pai lhe contava, à noite, entre goles de vinho branco. Deve ter sido aí que aprendeu algumas das virtudes capitais que distinguem os seus contos: o relato direto, objetivo, sem preciosismos de estilo, num ritmo envolvente, tal e qual uma boa narrativa oral. Aos 17 anos publicou o primeiro conto em um jornal paulistano. Não parou mais, senhor de seu ofício e da arte de prender o leitor.

Autor

Autor de uma vasta produção de obras literárias e audiovisuais, assumiu o ofício de escrever o tempo todo, e viveu de seus textos e criações. Destacou-se pela qualidade de seus contos e romances – literatura de realismo urbano – captando e recriando a atmosfera da grande cidade e de seus personagens; e a aristocracia, a classe média e a vida noturna. Marcos Rey escrevia como se estivesse filmando o cotidiano e a realidade da metrópole paulistana. Nasceu em São Paulo em 1925, e desde a infância era um inveterado leitor. Publicou seu primeiro conto aos 16 anos no jornal Folha da Manhã, já usando o nome "Marcos Rey" (Edmundo Donato era seu nome verdadeiro). Seu primeiro romance publicado foi Um Gato no Triângulo , em 1953. Habilidoso e versátil, Rey passou pelos anos 50, 60, 70, 80 e 90 como cronista, contista, roteirista de rádio, televisão e cinema, em programas de humor, rádio-almanaques, novelas e minisséries, e também foi redator publicitário. É autor de uma deliciosa coleção de romances de aventura e mistério para jovens leitores, livros escritos anualmente a partir da década de 1980, como O mistério do 5 Estrelas, O Diabo no Porta-malas e Sozinha no Mundo, entre outros grandes sucessos de público.