Literatura oral no Brasil

Literatura oral no Brasil

Sinopse

Literatura Oral no Brasil é livro sem similar na bibliografia brasileira. Obra de um pesquisador e erudito sem paralelo. Nascido no final do século XIX e tendo passado a infância e parte da juventude no sertão nordestino, Luís da Câmara Cascudo viveu uma época em que ainda prevaleciam valores, hábitos, costumes e até organização de trabalho típicos do século XVIII. Os livros eram raríssimos. Conhecimentos, lendas, contos, poesias, autos, tudo era transmitido de forma oral.Mais tarde, estudante universitário, leitor voraz, Cascudo foi verificando a origem, por vezes remotíssima, de fatos e estórias presenciados e ouvidos no sertão. A curiosidade do erudito juntava-se à realidade vivida, base de sua extensa obra, sempre palpitante de vida, como esta Literatura Oral no Brasil.Iniciando-se pela origem do conceito de literatura oral, a sua abrangência e vitalidade, limites e transmissão, o livro se espraia como círculos concêntricos numa superfície líquida, registrando e estudando as infindáveis manifestações de cultura transmitidas pela oralidade: canto, dança, mitos, lendas, fábulas, tradições, rondas infantis, parlendas, mnemonias, adivinhas, anedotas.Capítulos especiais são dedicados aos contos (contos de encantamento, de exemplo, facécias etc.), autos populares e poesia (em seus vários gêneros e tipos, romances, metro, desafio etc.) em suas múltiplas manifestações, completados com antologia.Com simplicidade e erudição, Cascudo registra, analisa, compara a presença de tradições em vários povos, sempre migrando, "ondulantes na imaginação coletiva", a contribuição de portugueses, negros e indígenas, assim como as fontes impressas da literatura oral brasileira, a partir do século XVI, muitas delas ainda presentes em nosso cotidiano, numa impressionante vitalidade do espírito popular.

Autor

Um dos mais respeitados pesquisadores do folclore e da etnografia no Brasil, Luís da Câmara Cascudo viveu quase toda sua vida no Rio Grande do Norte. Lia muito, recebia visitas, escrevia demais. Em suas viagens fazia amigos e ouvia histórias. Trocava muita correspondência. Por ser um homem muito querido, recebia – por escrito ou ao pé do ouvido – muitas informações sobre "causos" que embalaram o sono e assustaram gerações e gerações. Professor Cascudo, como historiador que era, também pesquisou os caminhos trilhados pelo homem e seu legado nos deixou as mais preciosas informações sobre a cultura brasileira. Em 1954, lançou a sua obra mais importante como folclorista, o Dicionário do Folclore Brasileiro, obra de referência no mundo inteiro. No campo da etnografia, publicou vários livros importantes como Rede de Dormir, em 1959, e História da Alimentação no Brasil, em 1967. Publicou depois, entre outros, Geografia dos Mitos Brasileiros, com o qual recebeu o prêmio João Ribeiro da Academia Brasileira de Letras. O pesquisador trabalhou até seus últimos anos e foi agraciado com dezenas de honrarias e prêmios. Morreu aos 87 anos.