Dignidade na Morte - Direito do Ser Social Idoso

Dignidade na Morte - Direito do Ser Social Idoso

Sinopse

O livro trata do Processo de Envelhecimento, provavelmente na intenção de fazer com que a sociedade reflita sobre a situação daqueles que, segundo a autora, têm ou direito para decidir no momento de sua morte. Assim, os textos que embasam a forma da autora de refletir sobre ou fenecimento do corpo vão desde citações teóricas, muitas de caráter marxista, porque ligadas à situação social do idoso numa sociedade pós-industrial e capitalista, a textos poéticos que trazem para sua abordagem um caráter lírico e um olhar feminino, sem perder o controle nem a seriedade do tema. Temas como liberdade, igualdade e dignidade humana são constantemente trazidos para a discussão embora o foco esteja na questão: a vida e a morte.
O livro trata do Processo de Envelhecimento, provavelmente na intenção de fazer com que a sociedade reflita sobre a situação daqueles que, segundo a autora, têm ou direito para decidir no momento de sua morte. Assim, os textos que embasam a forma da autora de refletir sobre ou fenecimento do corpo vão desde citações teóricas, muitas de caráter marxista, porque ligadas à situação social do idoso numa sociedade pós-industrial e capitalista, a textos poéticos que trazem para sua abordagem um caráter lírico e um olhar feminino, sem perder o controle nem a seriedade do tema. Temas como liberdade, igualdade e dignidade humana são constantemente trazidos para a discussão embora o foco esteja na questão: a vida e a morte.


Autor

Ivanilde Morais de Gusmão nasceu na área rural onde seus pais eram arrendatários, hoje Município de Machados no Estado de Pernambuco, anteriormente pertencente ao Município de Bom jardim. Seus pais, expulsos da terra, mudaram para a Vila dos Machados. Em 1953 foi morar em Recife. Entrou no mercado de trabalho aos treze anos. Fez o Ginásio no antigo Colégio Guararapes e no Colégio Estadual de Beberibe. Em 1962 migrou para São Paulo onde trabalhou como operária. Em 1964 voltou para Recife e em março de 1964 começou a trabalhar na SUDENE - Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, na Divisão de Habitação - DRH, depois da reforma, Setor de Desenvolvimento Urbano e Regional, onde conviveu com figuras memoráveis e desenvolveu todo um processo de leitura dos clássicos da filosofia, da literatura e dos grandes poetas. 

Em 1967 iniciou o segundo grau e em 1970 entrou para a Universidade Católica de Pernambuco onde cursou Geografia sob a coordenação do Professor Manoel Correia de Andrade; em 1974 fez Especialização em Desenvolvimento Urbano e Regional na UFPE; em setembro de 1975, pediu demissão da SUDENE e foi trabalhar como pesquisadora na Universidade Federal de Pernambuco na pesquisa "Processo de Urbanização do Nordeste", em convênio com a SUDENE e, em 1976, na pesquisa "Custos de Urbanização", convênio entre SUDENE e FIAM - Fundação Instituto de Administração Municipal. Em dezembro de 1976 mudou-se para Maceió-AL; em março de 1977 foi trabalhar como técnico em Planejamento na Secretaria de Planejamento de Alagoas e em março de 1978 começou também a ensinar na Universidade Federal de Alagoas, na área de Ciências Sociais. 

Como docente da UFAL fez, em 1979, Especialização em Ciências Sociais; e em 1981 entrou para o mestrado em Desenvolvimento Urbano e Regional na Universidade Federal de Pernambuco. Em 1989 foi fazer Doutorado em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em setembro de 1992 aposentou-se como Professor Adjunto da UFAL. Em fevereiro de 1994 iniciou o curso de Direito na Pontifica Universidade Católica de Pernambuco; em 1998 tornou-se advogada - OAB/PE 17.560; e em 2005 iniciou sua caminhada pela Gerontologia, fez o Curso de Especialização sobre Abordagem Biopsicossocial do Processo de Envelhecimento, na Faculdade Frassinetti de Recife - FAFIRE, cuja monografia resultou na primeira edição do livro Dignidade na Morte. Atualmente participa da Oficina de Criação Literária - Professor Raimundo Carrero - Recife - PE.

Narrador