ANJO AZUL

ANJO AZUL

Sinopse

Este livro traz algumas das inúmeras formas de poesia. Devo confessar que nunca tinha me interessado por escrever sonetos, embora seja um admirador deles. Pois é, comecei a escrever sonetos recentemente e me apeguei tanto que, ultimamente, só penso em decassílabos. Assim, aparecem aqui sonetos que falam de amor, de desamor, de ilusão, de desilusão, de esperança, de desesperança. Como engenheiro, não resisti a colocar (e de forma bem explícita),em alguns poemas, um pouco das chamadas “ciências exatas”, matemática, física e química, referindo alguns teoremas e leis que regem o “funcionamento” do Universo.Eu viajo muito e muitas poesias foram escritas durante os períodos em que eu estava distante daqui, como o leitor perceberá claramente.Após os sonetos, coloquei alguns versos soltos, que sempre escrevo, e dei ao conjunto deles o nome de “Hexacontálogo”. São 60 retalhos da extensa e acolhedora colcha com que cubro meu coração, e coloquei esse número para marcar meus 60 anos. O título é como se fosse um paralelo ao bem conhecido “Decálogo”.Na sequência, poesias livres (no sentido da comparação com sonetos, alexandrinos e outras formas mais rígidas da arte poética), com temas diversos, transversos, perversos. Alguns sem rima, uns extensos, uns compactos, outros irônicos, ou lacônicos, ou platônicos. Todos, registros de impressões, rabiscadas do momento em que as senti.Um pouco mais adiante, textos em prosa, que também expressam as emoções momentaneamente sentidas naquele preciso instante ou situação. E também alguns artigos que escrevi ultimamente e que foram publicados na imprensa local.Finalizo com uma “Declaração de amor à cidade de Taubaté”, terra que me acolheu, em 1981, e onde fiz minha vida. Agradeço a Taubaté, por intermédio de São Francisco das Chagas, por tudo que conquistei e por ter me oferecido oportunidades, amores, sabores, saberes e, acima de tudo, muitas amizades