Manuelzão e Miguilim

Manuelzão e Miguilim

00:00 / 00:00

Sinopse

Manuelzão e Miguilim configura-se em um edifício de alta densidade literária, construído com a engenhosidade ímpar de João Guimarães Rosa.Em “Campo Geral”, os leitores experimentam o mundo pelos olhos do menino Miguilim que, em seu cotidiano vivido no seio de uma família sertaneja, consegue, graças à sua curiosidade e inocência, enxergar - e espalhar - beleza nos lugares e situações que vivencia.


Em “Uma estória de amor”, a prosa rosiana nos conduz às reflexões que brotam do coração sofrido do vaqueiro Manuelzão por ocasião da festa que marca a inauguração de uma capela que ele constrói em memória de sua mãe. Na cabeceira de sua vida, Manuelzão sente ter chegado o momento de apropriar-se de sua história.Esta nova edição traz, ao ao fim do livro, um texto da escritora Henriqueta Lisboa, no qual ela empreende uma análise precisa e delicada sobre os escritos de Guimarães Rosa, mais especificamente sobre a novela “Campo Geral”.Ademais, a cronologia completa da obra Rosiana.A foto de capa é do fotógrafo Araquém de Alcântara, produzida em 2014, na Fazenda Jaíba, localizada na cidade de Montes Claros, no estado de Minas Gerais.

Autor

Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

João Guimarães Rosa nasceu em 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais. Publicou, em 1946, o seu primeiro livro, Sagarana, que foi recebido pela crítica com entusiasmo por sua capacidade narrativa e sua linguagem inventiva. Formado em Medicina, Rosa chegou a exercer o ofício em Minas Gerais e, posteriormente, seguiu carreira diplomática.
Além de Sagarana, constituiu uma obra notável com outros livros de primeira grandeza, como Primeiras Estórias, Manuelzão e Miguilim, Tutameia – Terceiras Estórias, Estas Estórias e Grande Sertão: Veredas. Este último romance levou o autor a ser reconhecido no exterior.
Em 1961, Rosa recebeu o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras (ABL) pelo conjunto de sua obra literária. Faleceu em 19 de novembro de 1967, no Rio de Janeiro.

Narrador

Rubens Caribé

Rubens Caribé

Rubens Caribé é ator, cantor e bailarino, estreou na TV em 1992 na minissérie "Anos rebeldes". Seu último trabalho como ator na TV foi em 2014 numa participação na série "O negócio", da HBO. Mora em São Paulo, se dedica ao teatro e agora ao audiolivro.
Um dos seus primeiros trabalhos em teatro foi a montagem de Hair, dirigida por Antônio Abujamra. É integrante do Teatro do Ornitorrinco, onde atuou em O Doente Imaginário (Molière), Sonhos de Uma Noite de Verão e A Megera Domada ambos de (William Shakespeare).
Atuou ainda em Memórias do Mar Aberto (Consuelo de Castro), sob a direção de Regina Galdino; Mãe Coragem e Seus Filhos (Bertolt Brecht), sob direção de Sérgio Ferrara; Pedras nos Bolsos (Marie Jones), sob a direção de Domingos Nunez. Participou das novelas"Fera Ferida" (1993), "Sangue do Meu Sangue" (1995), "Os Ossos do Barão" (1997), "Malhação" (1995), entre outras.